As autoridades da China estão investigando acusações de que duas fornecedoras de componentes da Apple e de outras fabricantes de dispositivos móveis estariam despejando grandes quantidades de metal pesado em rios próximos à área industrial de Kunshan, cerca de 60 km a oeste de Xangai.

Segundo Ding Yudong, vice-diretor do escritório local da agência reguladora ambiental da China, as autoridades locais estão investigando fábricas pertencentes a duas empresas sediadas em Taiwan, a Hon Hai Precision Industry, mais conhecida como Foxconn, e a UniMicron Technology.

O inquérito se segue a denúncias feitas na semana passada pelo ativista Ma Jun e por cinco organizações ambientalistas sem fins lucrativos. Segundo as denúncias, essas companhias estariam despejando água contaminada com metais pesados nos rios da região.

Ding disse que testar as águas levará tempo e que quaisquer violações poderão resultar em penalidades duras. “Se você está excedendo severamente os limites de emissões, nós vamos puni-lo”, acrescentou.

A Foxconn reafirmou neste domingo um comunicado que havia feito na sexta-feira, de que cumpre com as exigências de emissões e que seus descartes “têm sido feitos de acordo com todas as leis e regulamentações ambientais do governo” e que outras empresas localizadas no mesmo parque industrial lançam água servida nos mesmos rios, o Huangcangjing e o Hanputang. Eles são tributários do Yangtze e do Huangpu, rios que respondem por boa parte do abastecimento de água da região metropolitana de Xangai.

A UniMicron disse na sexta-feira que testa sua água descartada todos os dias e instalou monitores para atender às exigências das autoridades locais. Um porta-voz da Apple recusou-se a fazer comentários.

Estimativas de pesquisadores ligados ao governo indicam que entre 8% e 20% da terra arável na China estão contaminados com metais pesados como chumbo e cádmio. Uma pesquisa divulgada este ano, feita entre 7 mil trabalhadoras da indústria de aparelhos eletrônicos, mostrou que elas estão expostas a metais pesados em seus locais de trabalho. Fonte: Dow Jones Newswires.