Os investimentos da China no Brasil devem chegar a US$ 5 bilhões nos próximos três anos. A estimativa é do ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, que participou da solenidade de assinatura do protocolo de criação do Conselho Empresarial Brasil-China, ontem em Brasília.

Entre as possibilidades de investimentos dos chineses no Brasil, o ministro apontou oportunidades nas áreas de mineração, energia, móveis, alimentos, transportes e equipamentos hospitalares.

Ele destacou ainda que o incremento das relações comerciais entre os dois países poderá contribuir para a elevação das exportações brasileiras de carnes e especialmente de álcool, uma vez que a China busca combustíveis alternativos para enfrentar a poluição provocada pela alta no número de veículos em circulação.

O problema seria mais grave nas 151 cidades com mais de 1 milhão de habitantes.