A China disse hoje que os acordos sobre as dívidas nos EUA e Europa provavelmente não serão suficientes para salvar suas economias e que “passos concretos” precisam ser adotados para reequilibrar a economia global. Segundo um comentário divulgado pela agência oficial de notícias Xinhua, os investidores estão certos ao se preocupar com o crescimento dos EUA. “Há muito tempo os EUA estão mantendo seu crescimento e consumo excessivo por meio do financiamento da dívida, por isso existem as bolhas econômicas, que desencadearam a crise financeira”, diz o texto.

O artigo afirma ainda que a queda na demanda dos consumidores leva a uma desaceleração econômica e que a única forma dos americanos impulsionarem o crescimento tem sido tomar novos empréstimos para pagar os antigos. “Comer os grãos de maio em abril, entretanto, nunca será uma solução permanente para o problema”, destaca a Xinhua.

A agência aponta que alguns países europeus, afetados pelos problemas com as dívidas soberanas, estão recorrendo agora ao mercado para financiar suas dívidas, além de organizações internacionais. “É reconhecidamente um recurso, mas definitivamente não uma solução final”.

Segundo a Xinhua, os EUA e a União Europeia exercem uma enorme influência e têm uma grande responsabilidade sobre a economia mundial. “Enfrentando uma séria de crises de dívidas, eles precisam refletir sobre suas situações econômicas e sociais e adotar passos concretos para ajudar a resolver o problema do desequilíbrio na economia global. Somente ao introduzir reformas eles podem se salvar; somente com uma estrutura econômica sólida eles podem assumir a responsabilidade pela economia mundial”. As informações são da Dow Jones e da Xinhua.