A China ameaça tirar a liderança global dos EUA em venda de veículos novos, depois de ter comercializado mais de 6 milhões de carros e caminhões no primeiro semestre do ano, num momento em que o líder tradicional luta com declínios históricos no setor. As vendas de veículos na China cresceram 36,5% em junho sobre igual mês do ano passado, quarto mês consecutivo em que mais de 1,1 milhão de unidades são vendidas, segundo dados da Associação de Fabricantes de Veículos da China. As vendas no mês atingiram 1,14 milhão, elevando o total de unidades vendidas no primeiro semestre a 6,09 milhões de veículos, um aumento de 17,7% sobre o mesmo período do ano passado, em parte graças a generosos estímulos do governo, incluindo incentivos fiscais e subsídios.

“Se esta tendência se mantiver no ano todo, a China assumirá a liderança pela primeira vez na história”, disse Lincoln Merrihew, diretor da firma de pesquisa Compete. “Embora não seja totalmente surpreendente, isso está acontecendo num ritmo mais rápido do que se esperava.” Os EUA deram sinais de que atingiram o fundo do poço em junho, mas os resultados estão drasticamente abaixo das máximas anteriores, já que os consumidores norte-americanos ainda lidam com a crise econômica. O total de carros e caminhões leves novos vendidos caiu 28% em relação a um ano atrás, resultando numa taxa anualizada de 9,69 milhões de unidades vendidas, segundo a Autodata Corp.

Analistas preveem que o mercado dos EUA fique abaixo da marca de 10 milhões de veículos vendidos no ano, enquanto o associação chinesa do setor projeta vendas de mais de 11 milhões de carros e caminhões até o fim do ano. As informações são da Dow Jones.