O governo do Chipre decidiu isentar correntistas com menos de 20 mil euros depositados em banco de um novo imposto sobre a poupança, que integra o pacote de resgate anunciado pela troica de credores (Fundo Monetário Internacional; Banco Central Europeu e Comissão Europeia) no fim de semana, segundo o esboço de um projeto de lei. Nicósia, no entanto, não deixou claro como pretende compensar a receita perdida com a isenção a pequenos poupadores.

A taxação, inédita em programas de socorro na zona do euro, causou frustração no Chipre e pânico nos mercados financeiros.

Ainda de acordo com o esboço, poupadores que tenham entre 20 mil e 100 mil euros depositados pagarão uma taxa de 6,75%. Para valores acima de 100 mil euros, a taxa será de 9,9%.

O acordo original com a troica, que prevê ajuda financeira de até 10 bilhões de euros para o Chipre, previa que depositantes com menos de 100 mil euros pagariam taxa de 6,75% e com mais de 100 mil euros, de 9,9%, com o objetivo de levantar cerca de 5,8 bilhões de euros para o país e seu enfraquecido sistema bancário.

O Parlamento do Chipre deve começar a votar sobre o pacote de resgate, que inclui a polêmica taxação a depósitos, a partir das 11h (de Brasília). As informações são da Dow Jones.