Fazer a compra do mês no supermercado, repôr alguma peça do guarda-roupa das crianças, arcar com os custos de transporte, são os itens que mais têm obrigado a maioria dos consumidores brasileiros a levar suas despesas na ponta do lápis.

A necessidade de uma compra inesperada na farmácia, por exemplo, pode comprometer todo o orçamento do mês, aponta a pesquisa realizada pela TeleCheque, empresa especializada na concessão de crédito no varejo.

Segundo o estudo, que se refere ao primeiro semestre deste ano, os consumidores com renda entre R$ 700,00 e R$ 1.750,00 lideram os indicadores de inadimplência, representando 46% do total de inadimplentes no semestre, um aumento de 31,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. A pesquisa revela ainda que o Paraná ocupa a quinta posição no ranking de inadimplentes, atrás de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia.

O crescimento da participação do descontrole como motivo da inadimplência, em conjunto com a elevação da inadimplência entre consumidores de faixa etária entre 31 a 50 anos, acende um alerta para este segundo semestre.

“Devido ao aumento das facilidades de crédito ocorrido nos últimos três anos, esse perfil de consumidor passou a ter acesso a meios de pagamento que não utilizava no passado”, afirma José Antonio Praxedes Neto, vice-presidente da TeleCheque.