A receita das vendas do comércio varejista ampliado, que considera a venda de peças automotivas, mas não de automóveis, apresentou alta de 0,1% em julho, já descontada a inflação, ante o mesmo mês do ano passado, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), divulgado nesta sexta-feira, 14. Em junho, o indicador havia avançado 1,9% na mesma base comparativa.

Segundo a empresa, o resultado do mês passado foi beneficiado porque em julho de 2014 o varejo teve o impacto negativo dos feriados em dias de jogos por conta da Copa do Mundo. Além disso, o sétimo mês do ano passado contou com uma sexta-feira a menos e uma terça-feira a mais, enfraquecendo ainda mais a base comparativa para este ano.

De acordo com a Cielo, sem o impacto dos feriados e da troca de dias da semana, julho teria registrado queda no varejo de 1,1% em relação ao mesmo período de 2014, já descontada a inflação. Em junho, com os ajustes de calendário, o crescimento seria de 0,6%, na comparação interanual. “Portanto, os números mostram uma desaceleração do varejo ampliado em julho em relação a junho deste ano”, diz o relatório.

Apesar da diminuição do ritmo de alta, a inflação é apontada como principal fator que limita avanços mais expressivos do varejo.

Regiões

Na análise dos dados por região, o Nordeste e o Centro-Oeste apresentaram crescimento maior em julho ante igual mês de 2014, já descontada a inflação, com avanços de 2,7% e 1,1%, respectivamente. A região Sul aparece em seguida, com alta de 0,9%, seguida pela região Norte, com alta de 0,4%. Apenas o Sudeste registrou taxa negativa em 0,4% na comparação interanual.

Metodologia

O ICVA acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro de acordo com a sua receita de vendas, com base em um grupo de mais de 20 setores mapeados pela Cielo, de pequenos lojistas a grandes varejistas. O peso de cada setor dentro do resultado geral do indicador é definido pelo seu desempenho no mês.