São Paulo – No final de maio o presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarca em Pequim levando dados impressionantes: o comércio Brasil-China cresceu 810% entre 1991 e 2001, com média anual de 25% nesse período. Embora o volume entre os dois países tenha atingido apenas US$ 3,2 bilhões em 2001, cifra relativamente pequena considerando o potencial de mercado de cada um, o crescimento da corrente de comércio (exportações mais importações) também mostra velocidade surpreendente. Em 2000, o intercâmbio comercial cresceu 49%; em 2001, 40%; em 2002, 26%; e em 2003, 38%. Para este ano, a estimativa de expansão é de 50%. Com isso, o comércio bilateral deve chegar a US$ 10 bilhões, bem acima dos US$ 6,68 bilhões registrados em 2003. Daí a importância da China, que já é o segundo país de destino das exportações brasileiras.