O secretário-geral do Comitê Europeu de Supervisão da Atividade Bancária (Cebs, na sigla em inglês) disse que poderá falar com autoridades alemãs para discutir por que seis dos 14 bancos alemães não publicaram as oscilações de preços de ativos de dívidas soberanas, como parte do teste de estresse feito semana passada com os bancos europeus, informou hoje o “Financial Times” (FT) em seu website.

O secretário-geral do Cebs, Arnoud Vossen, disse ao FT que “nós concordamos com todas as autoridades supervisoras e com os bancos que participaram do teste que haveria a revelação, banco a banco, dos riscos soberanos”. Contudo, de acordo com a reportagem, seis bancos alemães – Deutsche Bank, Postbank, Hypo Real Estate, Landesbank Berlin e os grupos de fundos DZ e WGZ – não revelaram todas as informações esperadas. Funcionários reguladores alemães disseram que leis locais proibiram que eles forçassem os bancos a liberar a informação, informou o FT. As informações são da Dow Jones.