O governador em exercício Flávio Arns apresentou nesta terça-feira (05), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, as oportunidades de negócios no Paraná a uma comitiva de representantes e embaixadores de 12 países árabes, do norte da África e do Oriente Médio. O grupo pretende ampliar as parcerias comerciais com o Estado.

Arns apresentou o programa Paraná Competitivo, que prevê benefícios fiscais e na área de infraestrutura para quem investir no Estado. “Temos muitas potencialidades econômicas, como em tecnologia e agricultura. Estamos abertos para negócios e parcerias”, declarou. Ele disse que serão implantados nas escolas estaduais grupos de debate para ampliar o conhecimento sobre a cultura árabe.

Arns citou que a fabricante de autopeças Cofat, da Tunísia, se instalará em São José dos Pinhais para produzir para o polo automotivo do Paraná. “Temos uma relação produtiva que tem muito a crescer com o entendimento entre as nações. Temos aspectos econômicos e culturais que unem o povo brasileiro com os árabes”, afirmou.

COMITIVA – A missão diplomática foi composta por representantes da Jordânia, Catar, Palestina, Sudão, Iraque, Mauritânia, Kwait, Argelina, Arábia Saudita, República Libanesa, Omã e Líbia. Ela foi chefiada pelo Embaixador da Jordânia, Ramez Zaki Odeh Goussous.

Segundo ele, a intenção dos países árabes é trocar experiências com o Paraná nas áreas de bicombustível, agricultura, turismo e, principalmente, na erradicação da pobreza. “Temos muito que aprender. Queremos investir aqui, mas também queremos que o Brasil invista em nossos países”, disse Goussous. “Os países árabes passam por grandes reformas políticas e precisam de investimentos que gerem empregos e renda. Isso irá trazer desenvolvimento social e econômico”.

LIVRE COMÉRCIO – Durante o encontro foram tratados aspectos para definição de um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a Jordânia e Mercosul e Palestina. Para o diretor-geral da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Michel Alaby, existe grande potencialidade de cooperação entre as regiões, principalmente na área de tecnologia. Para isso, foi criada uma comissão para fazer esse trabalho comercial com o Mercosul, em especialmente o Paraná. “Temos neste Estado um parceiro, exemplo de crescimento e desenvolvimento’, afirmou.

O comércio do Brasil com os países árabes atingiu US$ 25,11 bilhões em 2011, 30% a mais que no ano anterior. As exportações paranaenses para os países árabes no ano passado atingiram cerca de US$ 1,5 bilhão, sendo 37% a mais que em 2010. Esse valor representa 10,1% do total exportado pelo Brasil.

Os principais produtos exportados pelo Paraná no ano passado foram carnes bovinas e de frango, açúcar, soja, milho, trigo e madeira. Já os importados pelo Estado são fertilizantes, minerais, plásticos, vidros para automóveis e equipamentos elétricos.

A reunião contou com a presença dos secretários Faisal Saleh (Turismo), José Richa Filho (Infraestrutra) e Luiz Hauly (Fazenda), além do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, e do presidente do Sistema Fecomércio, Darci Piana.