Os pequenos produtores rurais do Paraná vão começar o ano com mais tranqüilidade para trabalhar. No final de dezembro, o governo federal repassou ao governo do Estado R$ 15 milhões para ações de apoio aos agricultores familiares. Em conta-corrente, já foram depositados R$ 7,6 milhões. De acordo com o secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, padre Roque Zimmermann, os recursos vão sair do caixa dos ministérios do Trabalho e Emprego (MTE) e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, dentro do programa Fome Zero.

Zimmermann explica que a maior parte do dinheiro, R$ 11 milhões, será destinada ao programa Compra Direta Local da Agricultura Familiar. Na opinião do secretário, esse é um dos mais importantes programas do governo federal. Atende tanto ao pequeno produtor pagando um preço justo pela sua produção – quanto ao cidadão, proporcionando alimentação de qualidade e barata para a população carente.

Com os recursos federais, serão compradas também cinco ?vacas mecânicas? para alguns municípios do Paraná. Essas máquinas permitem a fabricação de produtos hidrossolúveis de soja, ?uma fonte de alto valor protéico para famílias carentes, principalmente as crianças?, ressalta padre Roque.

Está previsto ainda R$ 1,3 milhão para a manutenção do Sistema Nacional de Emprego (Sine), para a qualificação dos funcionários das Agências do Trabalhador, conservação da rede de intermediação de mão-de-obra e a revitalização dos equipamentos de informática das unidades. Esse dinheiro será aplicado em janeiro e fevereiro de 2006.

De acordo com dados da Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social, desde o início de 2003, o Programa de Qualificação Profissional, uma das ações do Sine com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do Tesouro Estadual, aplicou, no Paraná, R$ 9,9 milhões, beneficiando diretamente 24,9 mil pessoas.