No último dia de funcionamento, o movimento de clientes foi intenso nas lojas do Mercadorama, BIG e Maxxi Atacado que encerraram suas atividades nesta quarta-feira (30) no estado. Para limpar o estoque, a rede de supermercados fez promoções que chegavam até 50%, principalmente para carnes, frutas e verduras. Em algumas lojas, como a do Mercadorama do Bigorrilho, consumidores que ficaram de foram protestaram no momento em que as portas foram fechadas.

Até o momento, está confirmado o encerramento de cinco unidades do Mercadorama em Curitiba e outras cinco em cidades do interior, o que inclui pontos de venda da bandeira BIG e Maxxi Atacado. Em todo o país, o número deve chegar a 30 estabelecimentos em pelo menos sete estados – Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais, Alagoas e São Paulo, além do Paraná.

A empresa não confirma o número de lojas que devem fechar as portas em 2015, mas atribui a decisão ao atual ambiente econômico do país. Os funcionários foram avisados na segunda-feira (28) e tiveram a opção de aderir à demissão recebendo os direitos trabalhistas. As pessoas que optaram por continuar trabalhando ainda têm futuro incerto.

Na loja do Mercadorama da Tiradentes, no centro de Curitiba, as filas nos caixas nesta quarta-feira se estendiam por todos os corredores até a porta de entrada do estoque, nos fundos do imóvel. No horário de almoço, o tempo médio na fila era de uma hora.

Os proprietários do restaurante Bhau Ma, na Praça Generoso Marques, eram um dos clientes que estavam aproveitando o dia de queima de estoque. Eles estavam em seis pessoas para comprar, principalmente, carnes. Depois de duas horas dentro da loja, conseguiram sair com as bicicletas cheias de mercadorias.

Todas as carnes da loja da Tiradentes estavam com 50% de desconto. Em algumas gôndolas, na hora do almoço, faltavam frutas, verduras, carnes e bebidas. A segurança permaneceu reforçada em toda a loja.