A economia russa deve sofrer contração por mais alguns trimestres, afirmou a primeira-vice-presidente do Banco Central da Rússia, Ksenia Yudaeva, nesta quinta-feira. Segundo ela, a meta do BC de atingir uma taxa de inflação anual de cerca de 2% nos próximos dois anos e meio pode ser atingida e está em linha com a necessidade de retomada do crescimento econômico, segundo a agência Interfax.

Autoridades russas disseram que a prioridade agora é limitar a contração da economia, atingida por sanções ocidentais e pela forte queda nos preços do petróleo. Até agora, apenas algumas medidas foram anunciadas para impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB) russo, que pode encolher 4% neste ano. Enquanto isso, a inflação anual ronda os 15%.

Falando sobre a perspectiva do banco central para a economia russa na Câmara Americana de Comércio em Moscou, Yudaeva ressaltou a prontidão do BC para agir, se necessário, para lidar com os riscos relacionados a mais uma onda de volatilidade nos mercados globais. Como anteriormente, a autoridade não detalhou de que maneiras o banco central pode intervir para reduzir os riscos no sistema financeiro russo. Fonte: Dow Jones Newswires.