O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, afirmou, nesta quarta-feira, 8, que o banco é responsável pela maior parte do crédito de longo prazo no País. “Dois terços do crédito de longo prazo no Brasil estão diretamente associados ao BNDES”. Para o presidente do banco, isso se deve não porque o BNDES seja grande, mas porque a carteira de crédito de longo prazo no sistema privado é pequena.

O crédito total na economia brasileira, informou Coutinho, representa cerca de 50% do Produto Interno Bruto (PIB). Ele destacou a importância de financiamentos de longo prazo para o desenvolvimento do Brasil. Segundo ele, dada a amplitude de investimentos de que o País precisa, é importante a participação do setor financeiro privado nesse processo. “O Brasil requer uma indústria financeira privada fortemente comprometida com o desenvolvimento de longo prazo”. Outro ponto, em sua avaliação, é que o BNDES tem sido lucrativo. “Nos últimos anos, o lucro do BNDES foi de R$ 8,7 bilhões por ano. E ele tem contribuído revertendo esse lucro para a União”.

Coutinho informou que o BNDES tem estoque de R$ 300 bilhões em consulta para financiamento e que 80% desse valor deve ser aprovado neste ano. O número foi contabilizado até 31 de março. “Já há estoque de R$ 270 bilhões em projetos aprovados. Isso assegura um desempenho muito forte do BNDES e dos investimentos em 2013”, disse. Para o presidente do banco de fomento, a recuperação de investimentos na economia começa a aparecer. “A recuperação de investimentos já começa a se manifestar em 2013 com aceleração do financiamento ao desenvolvimento, apontando para a recuperação da economia brasileira e dos investimentos”, disse.

Infraestrutura

Segundo o presidente do BNDES, o banco deve desembolsar R$ 30 bilhões para financiar projetos de infraestrutura neste ano. Para 2014, sua previsão é de um desembolso de R$ 34 bilhões. No ano passado, o montante foi de R$ 25 bilhões. “A expectativa é de que leilões de concessão ao setor privado possam mobilizar o investidor privado para uma onda robusta e duradoura de investimento em logística”.

O BNDES deverá oferecer mais de R$ 3,3 bilhões para financiamento de inovação tecnológica em 2013. No ano passado, foram R$ 2,2 bilhões direcionados a esse setor. “Estamos fortemente ligados à inovação tecnológica. Estamos envolvidos no esforço do governo para ampliar inovação do Brasil”, disse Coutinho.

Outro setor que está no foco do BNDES é o de micro e pequenas empresas. No ano passado, esse segmento recebeu R$ 25 bilhões por meio do Programa do Sustentação do Investimento (PSI). O valor, disse Coutinho, equivale a dois terços da liberação total do programa. “Isso é muito importante porque é uma linha muito boa e acessível a todas as empresas do país”. Segundo ele, o financiamento serve para a “renovação de maquinário e ampliação da oferta.”

Luciano disse ser natural que o banco tenha maiores financiamentos para grandes empresas. Isso porque, segundo ele, 96% da exportação brasileira está ligada a empresas de grande porte e o financiamento à infraestrutura é concentrado, por causa do perfil do setor, em grandes companhias. “Temos nos esforçado muito, no entanto, para ampliar a participação da pequena empresa e isso tem acontecido. Se fizermos uma avaliação inteligente dos desembolsos e retirar infraestrutura, apoio à exportação e indústria de base, a participação da pequena empresa é muito grande”.

Investimento

O presidente do BNDES disse que a taxa de investimento da economia brasileira deve atingir 19% do PIB em 2013. No ano passado, a taxa foi de 18,1%. Segundo ele, os investimentos cresceram 4,3% no primeiro trimestre deste ano em relação aos últimos três meses de 2012. Nessa mesma comparação, disse, o consumo aparente de máquinas e equipamentos avançou 6,9% no primeiro trimestre. O consumo aparente representa a produção nacional somada às importações. Para o presidente do banco, o crescimento será puxado principalmente pela produção de bens de capital (máquinas e equipamentos) para o setor de transporte. Luciano Coutinho participa nesta quarta-feira, 8, de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.