A tomada de crédito por consumidores no Reino Unido cresceu 1,9 bilhão de libras (US$ 2,3 bilhões) em novembro, segundo dados publicados hoje pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês). O avanço foi o maior registrado desde março de 2005.

O resultado superou as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam um aumento de 1,6 bilhão de libras, e ficou bem acima da média em seis meses.

A expansão no crédito ao consumidor, que inclui empréstimos pessoais, cheque especial, financiamentos de veículos e crédito de lojas, pode sugerir que o recente avanço nos gastos das famílias está sendo impulsionado por dívidas, gerando incertezas sobre a saúde da economia do Reino Unido, que se prepara para iniciar negociações sobre sua saída da União Europeia.

O chamado “Brexit”, processo de rompimento do Reino Unido com a UE, foi aprovado em junho do ano passado. Fonte: Dow Jones Newswires.