As concessões de crédito para empresas com recursos livres devem continuar em lenta recuperação no Brasil nos próximos seis meses, informou hoje a Serasa Experian, empresa especializada em informações financeiras. O Indicador Serasa Experian de Perspectiva do Crédito avançou 0,3% em maio ante abril e atingiu o valor de 98,7. Esta foi a segunda alta mensal seguida do indicador, após um período de seis meses de estabilidade.

Pela metodologia utilizada, o indicador tenta antecipar em seis meses em média o nível de concessão de crédito para as empresas. De acordo com os técnicos da Serasa Experian, o crédito com recursos direcionados – com destaque para as operações realizadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) – tem atraído a demanda das empresas, em detrimento do crédito livre, oferecido pela rede bancária.

“Tal configuração deverá prevalecer ainda durante algum tempo no mercado creditício empresarial, dado que os impactos das elevações da taxa Selic (o juro básico da economia) são menos pronunciados nos custos das operações de crédito com recursos direcionados relativamente aos custos das operações de crédito com recursos livres”, informou o documento de divulgação da pesquisa.

Para os economistas da Serasa Experian, as concessões de crédito com recursos livres continuarão “abaixo de seu equilíbrio de longo prazo (nível 100), dificilmente retornando a este nível antes do primeiro trimestre de 2011”.

Crédito ao consumidor

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva do Crédito ao Consumidor, também divulgado hoje, caiu 1,5% em maio em relação a abril e atingiu o valor de 103,3. Esta foi a quinta queda mensal seguida. O resultado, de acordo com os técnicos, indica que “o ritmo de concessão de crédito ao consumidor deverá passar por um processo de desaceleração, especialmente durante o segundo semestre de 2010”. A desaceleração, no entanto, deve ser gradual, já que o indicador ainda está acima do nível 100.