O número de empregos criados nas áreas urbanas da China desacelerou fortemente nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, afirmou nesta terça-feira o ministro de Recursos Humanos do país, Yin Weimin, sem apresentar dados.

“Crescimento econômico mais lento e aumento das pressões para baixo na economia e na reestruturação da indústria estão tornando mais difícil a criação de empregos”, afirmou a jornalistas.

Para 2015, a China estabeleceu como meta criar mais de 10 milhões de postos de trabalhos, com uma meta de crescimento econômico de cerca de 7,0%. Em 2014, quando a economia cresceu 7,4%, o menor ritmo desde 1990, a meta era de 10 milhões e foram geradas 13,2 milhões de vagas. Fonte: Dow Jones Newswires.