Dificilmente o aprofundamento da crise internacional vai contagiar uma economia com fundamentos sólidos como a brasileira, disse hoje o governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que se encontra em Bogotá.

Campos participou ontem do 1.º Fórum de Investimento Brasil-Colômbia, organizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e hoje teve um rápido encontro com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva no intervalo do seminário “Nutrição Infantil para a Prosperidade de Todos”.

De acordo com Campos, o Brasil deve tomar lições dessa crise. Ele disse que o mundo, e em especial os Estados Unidos, terá de passar por uma mudança cultural e de redução do consumo. Perguntado se o Brasil já não está nesse caminho, uma vez que vem adotando medidas macroprudenciais, o governador respondeu que o País faz uma política de redução de danos, como já foi praticada em 2009.

Campos afirmou ainda que uma parte da crise dos EUA neste momento se dá pelo fato de o presidente Barack Obama não estar conseguindo inovar. “Do ponto de vista político, a eleição do Obama foi uma inflexão, mas ele recebeu dos republicanos uma situação que não consegue resolver”, analisou o governador, dizendo que os norte-americanos cobram do presidente uma “inovação” que ele não consegue entregar. (O repórter viajou a Bogotá a convite da Proexport, Agência de Promoção do Turismo, Investimento e Exportação do Ministério do Comércio e Indústria e Turismo da Colômbia)