Loja do Angeloni: modernidade.

Sete novos supermercados foram inaugurados este ano em Curitiba, totalizando investimentos de R$ 87,5 milhões. As três lojas Pão de Açúcar, as duas Condor, uma Super Muffato e uma Angeloni foram responsáveis pela abertura de 2,5 mil novos empregos em 2002, elevando para 44,6 mil o total de empregados no setor no Paraná. A justificativa da Apras (Associação Paranaense de Supermercados) para essa expansão é a aposta dos empresários no crescimento demográfico da capital paranaense nos próximos cinco anos, detectado em pesquisas de mercado.

A rede paranaense Condor foi a que mais investiu: R$ 31 milhões, sendo R$ 24 milhões no hipermercado Nilo Peçanha, no Centro Cívico, com 40 mil metros quadrados de área construída, e R$ 7 milhões em Araucária. As duas lojas abriram 640 vagas. O Super Muffato, rede do interior do Estado, investiu R$ 20 milhões para inaugurar seu primeiro supermercado na capital, com 39 mil metros quadrados de área construída. A loja na Avenida Wenceslau Braz gera 350 empregos diretos.

Ontem foi a vez da rede catarinense Angeloni abrir as portas da sua décima oitava loja, a primeira fora do Estado de Santa Catarina e a maior do grupo, totalizando 38 mil metros quadrados de construção na esquina da Avenida Água Verde com a República Argentina. Foram investidos R$ 18,5 milhões no Supercenter, que emprega 527 pessoas diretamente, e funcionará todos os dias das 7h às 24h. São 30 mil itens, estacionamento para 756 automóveis, praça de alimentação, cantinho da criança, adega com mais de 900 rótulos, cozinha para cursos de culinária, praça de alimentação e lojas comerciais e de serviços, entre eles um laboratório de análises clínicas. Esse comércio anexo ao supermercado criará mais 200 postos de trabalho.

“A expansão fora do Estado de Santa Catarina sempre foi um sonho da empresa. Como Curitiba é uma cidade que tem mostrado potencial de desenvolvimento, as pesquisas indicaram que seria um investimento viável”, explica o gerente da loja Maurício Benedixen. O Angeloni é a maior rede supermercadista de Santa Catarina, com faturamento de R$ 540 milhões e lucro de R$ 12 milhões em 2001.

Na avaliação de Benedixen, a concorrência no setor supermercadista é saudável. “Possibilita que a gente melhore nossos serviços. Temos um padrão de qualidade, variedade, atendimento e preços competitivos, com boas ofertas, que está sendo muito bem recebido pelos clientes”, destaca. Se o investimento no Paraná der um bom retorno, o Angeloni não pretende parar por aí no Estado. “A intenção nossa é avançar”, diz Benedixen.

Nova loja do Pão de Açúcar

Olavo Pesch

O Pão de Açúcar foi o grupo empresarial que inaugurou o maior número de supermercados em Curitiba nesse ano: três lojas de vizinhança, totalizando R$ 18 milhões em investimentos. Nos últimos cinco meses, foram abertas lojas no Champagnat e na República Argentina. Hoje, às 9h, será aberto ao público o novo estabelecimento, na esquina da Avenida Batel com a Coronel Dulcídio. É a décima terceira loja da bandeira no Paraná e a segunda a funcionar 24 horas. Uma das novidades é a pizza assada na hora em forno a lenha.

A nova loja recebeu aporte de R$ 6 milhões, gerando 200 empregos diretos (sendo 12 de terceira idade) e 300 indiretos. São 13 mil itens, sendo 2 mil de 180 fornecedores regionais. Há linhas de produtos alemães, judaicos e japoneses. A loja conta com uma hostess (anfitriã), que dá dicas aos clientes, um consultor em vinhos e empacotadores em todos os caixas. O local tem 1.364 metros quadrados e 90 vagas de estacionamento coberto gratuito.

“O posicionamento do Pão de Açúcar vem ao encontro das expectativas do curitibano. A empresa se preocupa com atendimento caloroso e atencioso, olhar nos olhos do cliente, aquilo que o Mercadorama tinha, mas perdeu”, ressalta Luiz Narciso, diretor regional do Pão de Açúcar. “Uma pesquisa mostrou essa carência, estamos investindo e tendo retorno”. Segundo Narciso, “a concorrência é grande, mas acreditamos muito na exigência do público curitibano. O bolo é o mesmo, leva a maior fatia quem operar com maior eficiência e é isso que buscamos a cada dia”, frisa. “No primeiro momento queremos dar visibilidade em Curitiba. Para o futuro, pode ser que o Pão de Açúcar vá para o interior”.