Criadores, técnicos e investidores ligados à raça charolês em todo o Brasil, vão se reunir a partir de hoje às 9h na sede da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), em Curitiba (Avenida Marechal Deodoro, 450, 15.º andar), para participar do Primeiro Fórum Nacional do Charolês, que se prolongará até domingo, 25. O Fórum é resultado de uma bateria de encontros realizados pela Associação Brasileira de Criadores de Charolês – ABCC – em vários outros importantes centros de criação da raça no País.

Na avaliação dos organizadores, o Fórum já é considerado o maior e mais importante evento técnico e mercadológico da raça neste ano.

O presidente da Associação, André Corrêa, disse que a entidade procurou ouvir o maior número possível de opiniões e só então foram decididos os temas a serem abordados, numa programação que deverá atender aos anseios de todos e indicar os melhores caminhos para o charolês no Brasil.

Segundo ele, o Fórum será um verdadeiro divisor de águas para a raça. “Depois deste evento, teremos um novo charolês”, resumiu.

A raça

O charolês é originário da França, mais precisamente de Charolais e Brionais, Departamento de Saône-et-Loire, no Distrito de Charolles. Muito antiga, dela existem registros pré-históricos na Suíça. Desenvolveu-se na França a partir do século XVIII, como excelente fornecedor de carne e animal de tração. Por ser bovino musculoso, sem tendência a depositar gordura na superfície, sua seleção começou a ser orientada há três séculos.

A melhora da qualidade permitiu, de 1920 em diante, a opção do Charolês unicamente como gado de corte. O aperfeiçoamento de sua estrutura corpórea, espessura da abundante massa muscular, peito profundo, membros longos, favoreceram muito a criação da raça – facilitavam seu deslocamento nas pastagens em busca de água em pontos mais distantes.

Atualmente, 68 países dos cinco continentes e sob os mais variados climas têm no charolês uma raça privilegiada. Na França, em pouco mais de 50 anos, o plantel de um milhão de cabeças – anotado em 1920 – passou de dois milhões. Em 1989, só as fêmeas já eram um milhão e setecentos mil, no total do seu rebanho. O Herd Book Francês, desde a década passada, concedeu-lhe o primeiro lugar entre todas as demais raças, com grande vantagem sobre o universo de animais registrados

Atualmente, o rebanho charolês no País está estimado em 100 mil animais PC e 50 mil PO. Suas principais características são a pelagem branca, grande porte, tanto na altura como no comprimento. O Charolês ainda se destaca por sua estrutura óssea e musculatura, excelente rendimento de carcaça e precocidade nos cruzamentos e nos abates.