O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), foi negativo em 0,04% na primeira prévia do mês, apresentando deflação. O índice se refere às últimas quatro semanas terminadas nesta sexta-feira (14). O índice de julho havia sido de 0,04%. O acumulado do ano está em 2,77% e dos últimos 12 meses em 3,38%.

O grupo Habitação foi o de maior influência neste índice, com alta de 1,26%. O índice poderia ter sido ainda menor caso não tivesse ocorrido os aumentos em: aluguel de moradia (2,62%) e condomínio (1,07%).

Em seguida, a segunda maior influência veio do grupo Vestuário, com queda de 2,40%, contribuindo para que o índice geral fosse negativo. Já é possível perceber as promoções devido às trocas das coleções de outono-inverno por primavera-verão. Os destaques deste grupo, com queda, vieram de: camisa masculina (-7,40%), camiseta masculina (-11,24%), conjunto esportivo infantil (-19,01%), agasalho masculino (-8,51%), agasalho feminino (-9,00%), blusa feminina (-4,79%) e calça comprida masculina (-3,14%). Com alta: calça comprida feminina (4,72%), conjunto infantil – saia, bermuda, short (13,77%) e tecidos (7,17%).

Também com queda, outro grupo que colaborou para a deflação foi artigos de residência, variando em -1,43%. Contribuíram para este resultado, os seguintes itens: móvel para copa e cozinha (-9,64%) e móvel para sala – mesa/cadeiras (-10,55%). Com alta: móvel para sala – sofá cama (18,91%).

Já o grupo Saúde e Cuidados Pessoais teve acréscimo de 0,96% frente a julho. Destacaram-se com alta: plano de saúde (1,66%) e tratamento dentário (0,92%). Em contrapartida, o grupo Alimentos e Bebidas apresentou queda de 0,24%, no qual as principais influências foram: batata-inglesa (-13,29%), leite pasteurizado (-2,71%) e tomate (-8,99%). Neste grupo, as principais altas vieram de: refeição fora de casa – almoço e jantar (0,95%), lanche (2,95%), banana caturra (12,43%) e mamão (10,99%).

Transporte e Comunicações apresentou decréscimo de 0,10%, chamando a atenção para as quedas em: álcool combustível (-3,83%) e gasolina (-1,80%). Passagem de avião subiu 14,46%.

Último grupo a influenciar o índice foi Despesas Pessoais que subiu 0,13%. As altas vieram de: teclado musical (27,85%) e excursão turística (3,49%). Houve queda de preços em: casas noturnas (-2,78%).

Para o cálculo da inflação, o Ipardes coleta, mensalmente, em Curitiba, cerca de 60 mil preços de produtos consumidos por famílias que possuem renda mensal que varia de 1 a 40 salários mínimos, ou seja, que ganhavam de R$ 465 a R$ 18.600.