No ano passado, 2,3 milhões de turistas estiveram em Curitiba. Destes, 40% vieram para negócios e eventos. Nos últimos anos, este setor cresceu bastante na capital paranaense e, para consolidar essa vocação, o Curitiba Convention & Visitors Bureau (CCVB) lançou ontem a campanha publicitária “Curitiba, a melhor cidade para congressos e eventos”. A divulgação aconteceu durante o 2.º Encontro dos Mantenedores do CCVB.

Segundo a diretora executiva da entidade, Juliana Vosnika, a cidade já tem esse perfil para sediar eventos, mas a intenção é fortalecer ainda mais esta posição. “O objetivo é aumentar o número de eventos com maior quantidade de pessoas e gerar mais negócios”, comentou.

O presidente do Curitiba CVB, Adonai Arruda, disse que “o vento está a favor” e que o turismo de negócios e eventos na capital vem crescendo. “É o terceiro ano consecutivo que a cidade está entre os top 10 da ICCA (International Congress & Convention Association, a maior instituição de eventos do mundo). Temos três dos melhores centros de convenções do País, além de infra-estrutura hoteleira, da própria cidade e uma gastronomia diversificada”, analisou.

A campanha terá peças promocionais, que serão distribuídas para parceiros. Ontem, foram colocados adesivos com o mote da campanha nos elevadores do Estação Embratel Convention Center.

Também haverá a distribuição, durante 12 semanas, de um jornal sobre o assunto no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, cidade que mais concentra negócios e eventos no País.

Serão 55 mil exemplares (por semana) sobre diversos aspectos de Curitiba e sua estrutura, entre outras informações. Em cada semana será uma publicação diferente.

Arruda afirmou ontem que a crise financeira mundial não deve prejudicar o setor do turismo de negócios e eventos em Curitiba. “Já existem eventos agendados para 2011. As negociações e os trabalhos acontecem com muita antecedência. As crises entram e saem. O que pode acontecer é aparecer um público menor”, opinou. De acordo com ele, dificuldades maiores podem ocorrer se o cenário ficar catastrófico.

Crise

Arruda afirmou ontem que a crise financeira mundial não deve prejudicar o setor do turismo de negócios e eventos em Curitiba. “Já existem eventos agendados para 2011. As negociações e os trabalhos acontecem com muita antecedência. As crises entram e saem. O que pode acontecer é aparecer um público menor”, opinou. De acordo com ele, dificuldades maiores podem ocorrer se o cenário ficar catastrófico.