Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Raquel Cesiuk: do curso de medicina direto para o mercado internacional.

Há seis anos, quando abandonou o curso de medicina na Faculdade Evangélica, Raquel Cesiuk não imaginava que seu sucesso profissional estaria entre tecidos e máquinas. A confirmação de que a decisão valeu a pena, ela tem hoje ao ver seus produtos vendidos em outros estados e até no exterior.

Junto com a irmã Renata, Raquel é proprietária da marca curitibana Get Shape, que produz a linha fitness. São 90 itens, cada um com uma grade de opções. Com menos de quatro anos de funcionamento, a Get Shape está hoje em lojas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Desde fevereiro do ano passado, a empresa passou a exportar para a Irlanda e a divulgar seus produtos na Suíça. Atualmente, uma negociação com uma empresa da Espanha também está prestes a ser fechada.

Raquel conta que, mesmo com o pouco tempo de existência, ela e a irmã já tinham os olhos voltados para o mercado externo. O empurrão que faltava para a realizar seu sonho, Raquel encontrou ao participar, em 2004, do Curitiba Exporta, programa desenvolvido pela Companhia de Desenvolvimento de Curitiba – Curitiba S.A. para capacitar pequenos empresários que desejam ingressar no mercado internacional. ?Depois de participar de todas as palestras do Curitiba Exporta, fiquei com mais vontade de vender meus produtos em outros países?, diz.

Para conseguir uma fatia maior do mercado externo, Raquel está num processo de mudanças internas da empresa. Na metade de fevereiro ela deixou o espaço que usava na casa onde mora, no bairro Santa Felicidade, para ocupar um barracão de 400 metros quadrados, na BR-277, próximo ao Parque Barigüi. ?Quero me organizar para exportar mais?, diz. Raquel quer evitar o que aconteceu no ano passado, quando teve que recusar uma venda de 30 mil peças para a África do Sul, por não poder cumprir o prazo de entrega exigido.

Hoje, a Get Shpae produz entre 8 e 9 mil peças mensalmente, número que deve  em breve. Para isso, as empresárias já compraram quatro novas máquinas e devem contratar cinco novos funcionários para trabalhar na produção.

A Henry Equipamentos e Sistemas, do empresário curitibano Paulo Henrique Tareskiewicz, também achou no Curitiba Exporta a porta de entrada para o mercado internacional. Tudo começou em 2004, quando a empresa – fabricante de equipamentos de controle de acesso (catracas e relógios-ponto) – encaminhou dois funcionários para participar do Curitiba Exporta. ?Tínhamos vontade de exportar e um setor de comércio exterior montado. Só faltava informação?, conta Luciana da Costa Crocetti, supervisora do Setor de Comércio Exterior da Henry.

De lá para cá, a Henry Equipamentos – que tem sua fábrica instalada em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba – já conquistou os mercados de 14 países das Américas do Sul e Central, Europa e África. O primeiro país a se interessar pelos equipamentos da Henry foi a Tunísia. Com um crescimento de 6,5% ao mês, a Henry Equipamentos investiu num programa de qualidade e dobrou o número de funcionários que atuam no setor de comércio exterior. Das três vagas iniciais, o setor passou a contar com o trabalho de seis pessoas.

Para fazer com que todos os 100 funcionários da empresa participem do processo de qualidade e exportação, a Henry também investe no conhecimento de seus colaboradores. No ano passado, contratou um professor de espanhol para dar aulas na própria empresa, três vezes por semana.

Luciana diz que o Curitiba Exporta é uma referência para a empresa. A Henry já contratou funcionários que haviam participado do programa e também procura incentivar os colaboradores a participar das palestras.

De menor porte, mas também com os olhos nos mercado externo, a curitibana Coral Brasil Moda Praia e Fitness é outro exemplo de sucesso do Curitiba Exporta. A ligação da empresa com o programa começou em 2003, o que lhe garantiu, um ano depois, a primeira exportação. Foram 7,5 mil biquínis vendidos para a Espanha.

A segunda venda para o exterior aconteceu em 2005, quando a confecção recebeu um pedido de 15 mil peças para uma cadeia de 200 lojas italianas. Sem capacidade para atender o pedido, Vera Regina Maranhão Trevisan, proprietária da Coral Brasil, tomou uma decisão que para muitos pode parecer loucura: ela fez parceria com outra confecção, a Dentro d?Água, concorrente no mercado curitibano. A ousada parceria rendeu à Coral Brasil e à Dentro d?Água o 10.º Prêmio ACP de Comércio Exterior em 2005, na categoria destaque empreendedor pequena empresa. (SMCS)

Novo ciclo de palestras começa neste dia 9

O programa Curitiba Exporta inicia suas atividades de 2006 no próximo dia 9, com uma nova programação. Reformulado, neste ano o programa prevê o dobro da oferta do módulo I, que oferece informações básicas de comércio exterior, possibilitando aos interessados a escolha da melhor data para realização do curso.

Caroline Strapasson, coordenadora de Relações de Mercado e Comércio Exterior da Curitiba S.A., diz que a mudança tem o objetivo de facilitar a participação dos empresários interessados. ?Agora, os empresários terão quatro oportunidades de ingressar no programa?, diz. A medida também vai permitir a manutenção da boa participação de empresários durante o ano todo, já que o Curitiba Exporta é desenvolvido em três módulos que oferecem informações progressivas. Se não participar do módulo I, o empresário não poderá se inscrever para os módulos subseqüentes.

Todo o trabalho é desenvolvido por meio de uma rede de parceiros, formada por órgãos de governo, entidades de classe, faculdades, empresas privadas e organizações nãogovernamentais que têm atuação direta com o comércio exterior.

Neste ano, o Curitiba Exporta será realizado nas regionais Santa Felicidade e Boqueirão. Em Santa Felicidade, será desenvolvido no primeiro semestre do ano. Os dois módulos I acontecerão nos dias 9 de março e 6 de abril. Já o módulo II, nos dias 3 e 4 de maio, e o módulo III, em 7 e 8 de junho.

Já na Regional Boqueirão, o programa será desenvolvido nos dias 30 de agosto e 21 de setembro, quando acontecerão os dois módulos I; nos dias 18 e 19 de outubro, o módulo II; e 8 e 9 de novembro, o módulo III.

Para participar do programa o empresário deve contribuir com dois quilos de alimentos não-perecíveis. As inscrições podem ser feitas pelos telefones da

Curitiba S.A. 3250-7747 e 250-7750 ou através do e-mail curitibaexporta@curitibasa.com.br