O déficit comercial do Reino Unido em maio caiu para seu menor nível desde junho de 2006, em consequência da forte queda das importações de países de fora da Europa, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas.

O déficit totalizou 6,3 bilhões de libras (US$ 10,2 bilhões) em maio, em comparação com o dado revisado de abril, de 7,1 bilhões de libras. Economistas esperavam um déficit de 6,5 bilhões de libras, de acordo com uma pesquisa feita pela Agência Dow Jones. O déficit de abril foi originalmente estimado em 7,0 bilhões de libras.

No comércio com países de fora da União Europeia, o déficit caiu de 4,1 bilhões de libras em abril – o nível mais baixo desde abril de 2007 – para 3,3 bilhões de libras em maio. As exportações para nações de fora da União Europeia caíram 3%, enquanto as importações recuaram 8,8% no mês. Para países da União Europeia, as exportações subiram 1% e as importações cresceram 0,5%.

Economistas saudaram o déficit menor, mas alertaram que os números revelam poucos sinais de que as exportações – cada vez mais competitivas em razão das fortes quedas da libra durante os últimos 12 meses – vão fortalecer o Reino Unido para que a nação saia da recessão.

“Com a demanda em mercados de exportação cruciais, como a zona do euro, ainda fraca e os exportadores britânicos aumentando os preços em libras, uma recuperação da economia liderada por exportações fortes permanece uma perspectiva distante para nós”, afirmou Jonathan Loynes, economista da Capital Economics. As informações são da Dow Jones.