O déficit comercial dos Estados Unidos caiu para US$ 39 bilhões em novembro, o menor nível em quase um ano, informou o Departamento de Comércio nesta quarta-feira. No mês anterior, o déficit revisado foi de -US$ 42,25 bilhões, de leitura prévia de -US$ 43,43 bilhões.

Os analistas consultados pelo The Wall Street Journal haviam previsto um déficit comercial de US$ 42 bilhões em novembro.

As exportações norte-americanas caíram 1% no comparativo mensal, para US$ 196,36 bilhões, enquanto as importações caíram 2,2%, para US$ 235,36 bilhões. Nos onze primeiros meses do ano, as vendas externas acumulam alta de 2,9%, enquanto as compras do exterior cresceram em ritmo mais rápido, a 3,3%.

O recuo nas importações deriva da queda dos preços internacionais do petróleo, fenômeno que não causou um aumento no volume comprado pelos Estados Unidos do exterior. Pelo contrário, o volume negociado no mês foi de 189 milhões de barris, o menor registrado desde 1994. A crescente produção da commodity no país tem limitado a demanda doméstica pelo petróleo estrangeiro nos últimos anos. Excluindo o efeito petróleo, as importações também caíram, de modo menos significativo, mas a demanda por bens de consumo, especialmente celulares, joias e itens de vestuário, cresceu.

A redução nas exportações em novembro foi causada por queda nas vendas de aviões civis, uma categoria considerada volátil, mas os EUA também exportaram menos computadores, geradores e outras maquinas no período. As vendas externas do país têm enfrentado desafios com a valorização do dólar e o enfraquecimento econômico no Brasil e no Japão. Fonte: Dow Jones Newswires. Fonte: Dow Jones Newswires.