O déficit em conta corrente dos EUA subiu para US$ 106,15 bilhões no primeiro trimestre de 2013, segundo divulgou nesta sexta-feira o Departamento do Comércio. O número é maior que o déficit do quarto trimestre de 2012, que foi revisado para baixo, a US$ 102,32 bilhões, de uma leitura original de US$ 110,42 bilhões.

Analistas consultados pela Dow Jones esperavam um déficit ligeiramente maior no período entre janeiro e março, de US$ 107 bilhões.

A conta de renda apresentou superávit de US$ 52 bilhões no primeiro trimestre, ante resultado também positivo de US$ 57 bilhões nos três meses anteriores.

As transferências unilaterais, que incluem ajuda estrangeira dos EUA para outros países e recursos de trabalhadores estrangeiros para famílias que vivem fora país, subiram para US$ 34,5 bilhões nos primeiros três meses deste ano, de US$ 31,9 bilhões no quarto trimestre do ano passado. Esse item contribui para o déficit em conta corrente.

A manutenção do déficit em conta corrente exige que os EUA atraiam grandes quantias de financiamento do exterior, inclusive da China, ou o dólar perde seu valor. As compras estrangeiras privadas de Treasuries excederam as vendas em US$ 109,4 bilhões no primeiro trimestre, ante um excedente US$ 33,5 bilhões no trimestre anterior, de acordo com o Departamento do Comércio. Fonte: Market News International e Dow Jones Newswire.