O Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região promoveu ontem a paralisação de uma hora da agência do Banespa/Santander na Rua Marechal Deodoro, no centro da cidade. Os sindicalistas lacraram as portas da agência para barrar a entrada dos clientes, o que causou algumas confusões. Os bancários protestaram contra as 600 demissões que o banco promoveu neste ano em todo o País. A paralisação faz parte de um movimento nacional da categoria.

Segundo a presidente do sindicato, Marisa Stédile, os principais atingidos com as demissões foram profissionais com doenças adquiridas no trabalho, como LER (lesão por esforço repetitivo), ou com proximidade da aposentadoria. “O fundo de pensão é um patrimônio muito grande. Se um funcionário acaba não se aposentando, o banco se apropria de 2/3 do que já foi depositado”, comenta Marisa. Por esses motivos, o sindicato avalia as demissões como discriminatórias.

Ela acredita que essas pessoas estão tendo dificuldades em encontrar novos lugares no mercado de trabalho. “Depois do banco ter sido privatizado, os funcionários tinham garantia de emprego, mas isso acabou”, afirma Marisa. De acordo com ela, a maioria dos bancários do Banespa já está há muitos anos na empresa.