Trabalhadores do setor aéreo denunciaram ontem a existência de indícios de fraude no processo de recuperação judicial da Varig, o que levou a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) a entrar com uma petição na Justiça do Rio para pedir a destituição do conselho de administração e direção executiva da companhia.

O administrador judicial da Varig, o advogado João Vianna, solicitou esta semana que a Justiça avalie o artigo 52 da Lei de Recuperação Judicial, que admite destituição em caso de falta de informações sobre o processo de restruturação. Não houve resposta sobre o assunto.

O presidente do conselho de administração da Varig, David Zylbersztajn, afirmou que a hipótese de renúncia dos conselheiros e da diretoria está completamente descartada e, por meio de nota, disse que estuda até processar a Fentac e o Sindicato Nacional dos Aeronautas.

O principal indício de fraude, conta o advogado Ronaldo Cramer, que representa a Fentac mais seis sindicatos do setor aéreo, é o fato de a lista de credores apresentada pela Varig ter incluído os 8 mil empregados da VarigLog e Varig Engenharia e Manutenção (VEM), que não estão em processo de recuperação judicial. Segundo ele, só deveriam constar os 11 mil trabalhadores das companhias em recuperação (Varig, Rio Sul e Nordeste).