A taxa de desemprego em Curitiba e região metropolitana foi de 5,8% no mês de julho, apontando uma redução de 1,4 ponto percentual em relação a julho de 2007.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Emprego, feita pelo Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social) em parceria com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A população ocupada, estimada em 1,538 milhão, teve um acréscimo de 10,4% em relação ao mesmo mês do ano passado, representando mais 145 mil pessoas no mercado de trabalho.

A taxa média nacional de desemprego calculada pelo IBGE foi estimada em 8,1%, caindo 1,4 ponto percentual em relação a julho de 2007. As demais regiões metropolitanas apresentaram os seguintes índices: Porto Alegre (6,0%); Belo Horizonte (6,8%); Rio de Janeiro (7,3%); São Paulo (8,3%); Recife (10,1%); Salvador (12,1%).

O número de empregados com carteira assinada foi estimado em 773 mil, apresentando acréscimo de 7,1%, em relação a julho de 2007. O número de empregadores cresceu 29,2% comparando com julho do ano passado, com mais 19 mil pessoas.

Já o número de trabalhadores sem carteira assinada do setor privado, estimado em 164 mil, aumentou 23,3% comparando com julho de 2007. O número de pessoas na condição de trabalhador por conta própria (281 mil pessoas) manteve-se estável. O número de pessoas desocupadas e procurando trabalho no mês de julho foi estimado em 95 mil.

O levantamento aponta ainda que o rendimento real dos ocupados foi de R$ 1.193,40 em julho, crescendo 8,1% frente a julho do ano passado. Para os empregados com carteira assinada do setor privado houve aumento de 12,2% em relação a julho do ano passado, com rendimento médio real de R$ 1.119,70.

Atividades

Na comparação com julho do ano passado, a indústria, o comércio e a administração pública foram os setores que registraram os maiores índices de crescimento no emprego: 14,3%, 11,8% e 16,9%, respectivamente, o que representou aumento de 38 mil, 33 mil e 34 mil pessoas.

Dieese/Seade

O Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) e a Fundação Seade, divulgaram ontem resultado de pesquisa realizada nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal. O resultado encontrado foi desemprego médio de 14,6% em julho, menor nível (segundo esta pesquisa) para o período desde 1998.

O nível de ocupação caiu 0,7% no mês em julho ante junho e subiu 5,2% em relação a julho de 2007. O rendimento médio real dos ocupados, por sua vez, diminuiu 0,7% em junho ante maio, e passou a corresponder a R$ 1.154,00. Em relação junho de 2007, houve crescimento de 3,8%.

A massa de rendimento dos ocupados, uma combinação entre o nível de ocupação e o rendimento, permaneceu relativamente estável (-0,3%) em junho ante maio. Mas na comparação com junho do ano passado, aumentou 8,4%.

Salário médio no Paraná em alta

O salário médio pago no Paraná entre janeiro a julho de 2008 aumentou 3,2% em relação ao pago em igual período do ano passado. O valor recebido pelos trabalhadores contratados com carteira assinada foi de R$ 635,77, enquanto nos primeiros sete meses de 2007 a média salarial no Estado era de R$ 616,27. Os dados são baseados nos registros do Caged do Ministério do Trabalho.

Para comparação do poder de compra dos salários, a análise atualizou o salário médio recebido pelos trabalhadores contratados nos sete primeiros meses de 2007 pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

O setor que mais contribuiu para o aumento do salário médio dos paranaenses foi a agropecuária. Os trabalhadores rurais perceberam um aumento de 10,1% na renda média, em relação aos contratados no ano passado. O valor passou de R$ 483,11 em 2007 p,ara R$ 531,86 no ano passado.