A taxa de desemprego dos Estados Unidos subiu de 7,6% em janeiro para 8,1% em fevereiro, atingindo o nível mais elevado desde dezembro de 1983, informou nesta sexta-feira (6) o Departamento de Trabalho norte-americanos. O número ficou levemente acima da previsão média de analistas, de 8%. Alguns economistas acreditam que a taxa possa atingir 10% até o fim deste ano.

A desaceleração da economia norte-americana continuou provocando perdas de emprego em níveis não vistos nos Estados Unidos desde o pós-Segunda Guerra Mundial. Foram 651 mil empregos cortados em fevereiro, em linha com a previsão dos economistas de corte de 652 mil. Nos últimos quatro meses, 2,6 milhões de pessoas perderam seus empregos nos EUA.

O número de cortes de postos de trabalho nos EUA desde que a recessão no país começou, em dezembro de 2007, atingiu 4,4 milhões, sendo que quase a metade dele (2,6 milhões) ocorreu somente nos últimos quatro meses.

Revisão

O Departamento de Trabalho dos EUA revisou os dados de postos de trabalho referentes a dezembro de 2008 e janeiro de 2009. No caso do último mês do ano passado, a revisão mostrou corte de 681 mil empregos, o maior desde outubro de 1949. Para janeiro, a revisão mostrou perda de 655 mil vagas.

Originalmente, o departamento estimava perda de 577 mil postos de trabalho em dezembro e de 598 mil empregos em janeiro. As informações são da Dow Jones.