Com o aumento das despesas de 19,59% e uma queda nas receitas de 3,05% no primeiro bimestre deste ano, ante igual período de 2008, o superávit primário do governo central (que reúne as contas do Tesouro Nacional, da Previdência Social e do Banco Central) totalizou R$ 3,049 bilhões, o que equivale a 0,65% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período de 2008, o resultado primário foi positivo em R$ 20,579 bilhões, o que equivalia a 4,63% do PIB. O superávit primário não leva em conta as despesas com o pagamento de juros.

A queda nas receitas e o aumento das despesas fizeram o governo central realizar um superávit primário de R$ 17,530 bilhões menor no primeiro bimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados nesta terça-feira (31) pelo Tesouro Nacional, que indicam uma deterioração do esforço fiscal do governo nos dois primeiros meses de 2009. O superávit primário do governo central caiu de R$ 20,579 bilhões no primeiro bimestre de 2008 para R$ 3,049 bilhões nos dois primeiros meses deste ano.

Apenas no mês de fevereiro, o governo central registrou um déficit primário de R$ 926,2 milhões, informou o Tesouro.

De acordo com o Tesouro, entre as despesas apuradas entre janeiro e fevereiro deste ano o maior aumento foi de gastos com pessoal, que subiram 25,36% no período, em relação ao primeiro bimestre de 2008. Os gastos com custeio e capital cresceram 23,69% no período, na mesma base de comparação.