O grupo americano Citigroup destituiu o Opportunity da gestão do fundo CVC/Opportunity Equity Partners. Na prática, o Citigroup tira o Opportunity, do empresário Daniel Dantas, da administração de uma série de empresas de telefonia, a exemplo da Telemig e Brasil Telecom. Num provável sinal da receptividade positiva do mercado à operação, a ação preferencial da BrT subiu 14,79%, com realização de 2.003 negócios.

Para analistas, a operação sinaliza uma ?luz no fim do túnel? num imbróglio empresarial que dura anos e tira ?um peso? dos papéis da Brasil Telecom.

A holding sempre carregou o estigma de ser uma empresa onde os principais acionistas estavam em conflito: o Opportunity e a Telecom Italia, que ficou fora do bloco de controle mas lutava na Justiça pela reintegração.

Ainda de acordo com os analistas, as ações da BrT ainda refletem a perspectiva mais reduzida de que a holding se envolva na aquisição da Telemig Celular Participações e Tele Norte Celular Participações. Nessa perspectiva, as operadoras Vivo e Claro se tornariam realmente as mais prováveis compradoras.

No mesmo fato relevante, o novo gestor do Fundo CVC também comunica que entrou em acordo com outros acionistas, os fundos de pensão de empresas como Banco do Brasil (Previ) e Embratel (Telos), noutro sinal considerado positivo pelo mercado.

A destituição do Opportunity remove ?o grande obstáculo? para que a Telecom Italia volte a controlar a operadora de telefonia Brasil Telecom. A avaliação foi feita por um executivo da empresa italiana.

A aposta dos italianos é que o novo gestor – que ainda será indicado pelo Citigroup -possa retomar as negociações em torno do controle da empresa.