O chefe-adjunto do Departamento Econômico do Banco Central, Fernando Rocha, disse nesta quarta-feira que o superávit primário de dezembro, de R$ 22,252 bilhões, foi o melhor da série para o mês, iniciada em 2001. O saldo ainda é o segundo melhor desde então, de acordo com ele, perdendo apenas para o resultado de setembro de 2010, no valor de R$ 28,157 bilhões.

Apesar desse resultado positivo no último mês do ano, a dívida líquida permaneceu estável em 35,1%, na passagem de novembro para dezembro, porque no mês houve apreciação da taxa de câmbio. “Se tivesse ficado constante, iria haver redução da dívida”, considerou. No período, o dólar passou de R$ 2,10 para R$ 2,04, o que implicaria em aumento da dívida, mas que foi equilibrado pelo superávit maior.

Janeiro 2013

O BC também projeta uma dívida líquida do setor público em 35,1% do PIB no fim de janeiro de 2013, mesmo nível verificado no fim de 2012. Rocha destacou que a dívida líquida permaneceu em trajetória de queda no ano passado e que a perspectiva continua sendo declinante para 2013, com o indicador chegando a 33,2% do PIB ao final deste ano.