Os preços dos itens que compõem a cesta básica subiram em abril em 12 das 18 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) realiza, mensalmente, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica.

As altas mais expressivas, de acordo com o levantamento, foram apuradas no Recife (6,55%), em João Pessoa (5,94%) e Belém (5,25%). As retrações mais significativas ocorreram em Salvador (-4,63%), Porto Alegre (-3%) e Campo Grande (-1,73%).

Em abril, São Paulo continuou a ser a capital onde se apurou o maior valor para a cesta básica: R$ 344,30. Na sequência aparecem Manaus (R$ 339,64), Vitória (R$ 328,94) e Rio de Janeiro (R$ 327,52). Já os valores mais baixos foram verificados em Aracaju (R$ 247,72), Salvador (R$ 268,05) e Campo Grande (R$ 271,65).

Acumulado

No acumulado dos primeiros quatro meses de 2013, as 18 capitais pesquisadas registraram expansão nos preços da cesta básica. As altas mais expressivas foram registradas em João Pessoa (22,33%), Aracaju (21,40%) e no Recife (19,84%). Já Porto Alegre (6,08%), Florianópolis (7,36%) e Goiânia (8%) registraram os menores aumentos.

Em 12 meses, entre maio de 2012 (quando o Dieese divulgava a estimativa de preços da cesta básica em 17 capitais, sem os dados de Campo Grande) e abril último, houve aumento acima de 10% em todas as regiões, com as maiores variações em João Pessoa (34,11%), Recife (33,21%) e Fortaleza (32,99%). As menores variações foram verificadas em Porto Alegre (16,48%), Curitiba (18,98%), Florianópolis (20,75%) e Goiânia (20,76%).

As 18 capitais pesquisadas mensalmente pelo Dieese são Vitória (ES), Manaus (AM), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Aracaju (SE), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Campo Grande (MS), Belém (PA), João Pessoa (PB), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Recife (PE), Natal (RN) e Florianópolis (SC).