Em reunião com 52 empresárias dos mais diversos segmentos da economia, a presidente Dilma Rousseff garantiu nesta terça-feira, 8, que a inflação está sob controle, demonstrou otimismo com os rumos da economia brasileira, destacou os investimentos do governo federal na área de infraestrutura e ouviu demandas de setores, prometendo criar comitês para dar prosseguimento às discussões.

“Este é um momento de otimismo realista”, disse a presidente na reunião, segundo relato de uma das participantes. Durante a reunião, que se estendeu por cerca de três horas no Palácio do Planalto, Dilma disse que os dados têm mostrado que a inflação está “totalmente sob controle” e observou que o dólar tem uma “flutuação natural”, de acordo com relatos ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

Entre as empresárias presentes à reunião estavam as presidentes da TAM, Cláudia Ramires; da Pepsico Brasil, Andrea Alvarez; da Chevron Brasil, Eunice Carvalho; e do Magazine Luiza, Luiza Trajano. O encontro foi acompanhado pelos ministros da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos; da Casa Civil, Gleisi Hoffmann; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; e da Secretaria de Mulheres, Eleonora Menicucci.

Foco

A presidente destacou que está garantindo que as riquezas do pré-sal resultem em avanços na área de educação, considerada por ela um dos focos da sua administração. Também afirmou que gostaria que o padrão da internet no País fosse o da Coreia do Sul e defendeu a desoneração da folha de pagamento, que, na avaliação da presidente, resultou em aumento da competitividade. Dilma também disse que é importante trabalhar com metas.

Durante as três horas de conversa, no entanto, a presidente também ouviu queixas das empresárias, que demonstraram preocupação com o fechamento de micro e pequenas empresas e com a falta de mão de obra qualificada. De acordo com uma das participantes, criticou-se a falta de “bons professores para formar bons técnicos”. A presidente aproveitou a reunião para comentar as recentes manifestações no País, frisando que isso “é normal” e que as pessoas têm o direito de se manifestar.