A fila de caminhões em direção ao Porto de Paranaguá, que chegou a atingir 20 quilômetros na segunda-feira, já reduziu sensivelmente. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a fila ontem partia do portão do pátio do Porto de Paranaguá e seguia até o km 6. ?Tecnicamente, até dez quilômetros não é considerado fila?, apontou a assessoria de imprensa da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

Conforme a Appa, na segunda-feira uma grande fila de caminhões se formou ao longo da BR-277 por culpa dos operadores portuários, que teriam enviado cargas em excesso e não nominadas para embarque.

Ontem, havia três navios atracados no Corredor de Exportação: um de soja em grãos, com capacidade de 55,4 mil toneladas e que tem como destino a Holanda; e outros dois de farelo de soja, com destino à India e outro à França. Ao largo, há ainda cinco navios aguardando para atracar e carregar soja em grãos, dois navios para farelo de soja e um para milho.

De acordo com a Appa, de 1.º de janeiro até ontem o Porto de Paranaguá escoou 452.898 toneladas de soja em grãos – quase o dobro da quantidade escoada no mesmo período do ano passado (239.389 toneladas). A quantidade de farelo de soja também aumentou, passando de 595.510 toneladas no ano passado para 641.510 toneladas este ano. Segundo a Appa, o aumento se deve sobretudo à grande quantidade de soja da safra passada que ainda não havia sido comercializada e que ficou no interior do Estado: cerca de 1,1 milhão de toneladas.

Em 2004, o Porto de Paranaguá embarcou cerca de 12 milhões de toneladas do complexo soja (grãos, farelo e óleo), que representou quase 40% do total de exportações do porto no ano.