A dívida mobiliária federal interna (DPMFi) apresentou um aumento de 28,01 bilhões no mês de julho, atingindo o saldo de R$ 1,349 trilhão. Em junho, o estoque da dívida estava em R$ 1,321 trilhão. Segundo dados divulgados hoje pelo Tesouro Nacional, a dívida aumentou ao longo do mês, influenciada pela emissão de R$ 25,18 bilhões em títulos da dívida interna para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Essa emissão é mais uma parcela do empréstimo de R$ 100 bilhões concedida ao BNDES para aumentar a sua capacidade de emprestar às empresas, neste ano de impacto da crise financeira internacional. A dívida também foi influenciada pelo impacto de R$ 11,412 bilhões no encargo de juros no seu estoque. As emissões de títulos ao longo do mês alcançaram R$ 63,72 bilhões, enquanto o total de resgates foi de R$ 47,12 bilhões. A emissão líquida de papéis, ao longo do mês, somou R$ 16,6 bilhões.