Os mercados domésticos de câmbio e juros sentiram forte o baque da desaceleração dos índices acionários em Nova York no final desta manhã. Operadores domésticos comentaram que a reação dos ativos aqui deveu-se exclusivamente ao fator externo, levando o dólar e as taxas dos contratos futuros de depósitos interfinanceiros (DIs) às máximas.

O dólar comercial subiu rapidamente no mercado interbancário de câmbio, alcançando o nível de R$ 1,88. Às 12h30, a moeda norte-americana já devolvia parte da escalada e era negociada a R$ 1,872, alta de 0,59%. No começo do dia, o dólar foi cotado a R$ 1,858. No pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar à vista estava cotado a R$ 1,878, alta de 0,91%.

No pregão de juros, a projeção do contrato de DI de janeiro de 2010 estava em 10,92% ao ano às 12h30, ante 10,88% do fechamento de ontem (24).