Esta terça-feira (7) é dia de decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) a respeito das taxas de juros básicas da economia norte-americana. O mercado fechou consenso em torno da manutenção dos atuais 5 25% ao ano, mas espera ansioso alterações no texto do comunicado que acompanha a divulgação da definição. Devido aos problemas com o subprime e os temores de que eles possam estar contaminando outros setores da economia, os analistas e investidores apostam em mudança no tom do Federal Reserve a respeito da política monetária. Atualmente, a maioria estima que haverá dois cortes de juro, de 0,25 ponto porcentual cada, até o final do ano.

Até as 15h15, a espera pela decisão do Fomc deve ser o principal assunto a reger os negócios lá fora e, conseqüentemente, no mercado doméstico de câmbio. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, a moeda norte-americana abriu em queda de 0,58%, a R$ 1,896. Por conta das fortes expectativas que rondam o tema, a volatilidade deve continuar imperando. Principalmente se o restante da agenda do dia apresentar surpresas.

Internamente, o destaque é a divulgação, às 11 horas, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) da pesquisa Indicadores Industriais referente ao mês de junho. Serão divulgados dados setoriais sobre a venda real das indústrias, horas trabalhadas na produção, pessoal empregado e remuneração paga. Esses números tendem a surtir maior efeito sobre as negociações do mercado de juros, mas os investidores do câmbio prestarão atenção.