A taxa de câmbio começou o pregão viva-voz na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) em queda. O primeiro negócio com dólar à vista foi fechado a R$ 1,855, recuo de 0,32%. Se a lógica vista nos últimos dias – um dia no céu, outro no inferno – se repetir nos mercados internacionais, nesta  é a vez da bonança nas bolsas e no mercado de câmbio.

O impulso foi dado pelo resultado positivo da Amazon.com e é reforçado por dados favoráveis também no balanço da Boeing. Na Europa, no entanto, a temporada de balanços atrapalha e os principais índices das bolsas ainda estão no vermelho esta manhã.

No mercado doméstico de câmbio, os ativos norte-americanos sempre têm peso maior. Assim, perante o ânimo de Nova York, a perspectiva é de dólar em queda pela manhã e só falta um fluxo favorável para atestar apostas de que essa trajetória se perpetuará no restante do pregão.