O grupo Educação, Leitura e Recreação, que recuou de 1,56% na terceira leitura de fevereiro para a 0,28% na última quadrissemana do mês, foi o que mais contribuiu para a queda do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) divulgado nesta quinta-feira, 6, pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador geral recuou 0,03 ponto porcentual, de 0,69% para 0,66% entre os dois períodos.

Dentre as três classes de despesas que registraram decréscimo em suas taxas de variação, a FGV destacou o comportamento dos itens cursos formais (de 1,60% para 0,00%), em Educação, Leitura e Recreação; artigos de higiene e cuidado pessoal (de 1,06% para 0,59%), no grupo Saúde e Cuidados Pessoais; e cigarros (de 4,10% para 1,89%), em Despesas Diversas.

De forma isolada, os itens com as maiores influências de baixa foram leite tipo longa vida (mesmo diminuindo o ritmo de deflação de -6,08% para -4,27%), batata inglesa (apesar de subir de -13,31% para -8,12%), protetores para a pele (de -0,92% para -2,05%), passagem aérea (de 6,61% para -2,67%) e excursão e tour (de 0,05% para -1,00%).

Já os cinco itens com as maiores influências de alta foram refeições em bares e restaurantes (de 1,03% para 1,32%), empregada doméstica mensalista (de 1,99% para 2,24%), tarifa de ônibus urbano (de 1,01% para 1,43%), plano e seguro saúde (estável em 0,68%) e cigarros (embora tenha recuado de 4,10% para 1,89%).