O principal responsável pelo IPC-S da segunda prévia de fevereiro (alta de 0,30%) foi o grupo Educação, Leitura e Recreação, que registrou alta de preços de 1,69%, ante a taxa de 2,72% do levantamento anterior. Os dados foram divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

De acordo com a instituição, dentro de Educação, Leitura e Recreação, o item cursos formais (de 5,37% para 3,21%), apesar da desaceleração no período, foi destaque de alta.

Alimentação (0,24% para 0,02%), Transportes (0,46% para 0,28%), Comunicação (0,38% para 0,25%) e Despesas Diversas (0,57% para 0,50%) também registraram desaceleração em suas taxas de inflação, da primeira para a segunda prévia de fevereiro. Nestes casos, as principais influências positivas foram, respectivamente, hortaliças e legumes (4,73% para 0,66%), tarifa de ônibus urbano (2,47% para 1,91%), tarifa de telefone residencial (1,16% para 0,71%) e cartório (4,93% para 4,22%).

O grupo Vestuário (-0,53% para -0,42%) apontou deflação menor no período, enquanto Saúde e Cuidados Pessoais (0,33% para 0,39%) e Habitação (0,27% para 0,28%) tiveram acréscimos em suas taxas de inflação. Nestes casos, os destaques foram, pela ordem, roupas (-0,93% para -0,64%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,49% para -0,16%) e eletrodomésticos (-0,45% pra -0,31%).