Mesmo diante do momento conturbado que o mercado financeiro atravessa, o empresário Eike Batista espera levantar até US$ 2,5 bilhões com a venda de participações acionárias em suas empresas nos próximos meses. Batista revelou que negocia com cinco grupos a venda de 49% de sua companhia de mineração de ouro, a AUX. Seu grupo, o EBX, manterá o controle da empresa, com uma fatia de 51%.

A transação, diz, deve movimentar até US$ 2 bilhões. Se sair por esse valor, será mais bom negócio do empresário, que pagou US$ 1,3 bilhão há um ano por reservas de ouro na Colômbia. Inicialmente, a ideia era fazer o IPO (Oferta Inicial de Ações, na sigla em inglês) da AUX. Mas Batista desistiu de tal alternativa por conta da crise europeia e seus reflexos sobre o mercado financeiro. “Há uma distorção louca no mercado.”

O executivo espera concluir as negociações em setembro, quando o grupo anunciará o nome do parceiro -dos cinco interessados, quatro são do setor de mineração de ouro. Paralelamente, Batista também negocia a venda de uma fatia (cujo percentual não foi revelado) da holding EBX para “um fundo soberano de um país asiático”. O executivo não revelou o nome do futuro sócio de seu grupo, mas disse que a transação será da ordem de US$ 500 milhões. A expectativa é fechar o contrato em 60 dias.

Em maio, o empresário vendeu 0,8% da holding EBX, que controla todas as empresas do grupo, à GE por US$ 300 milhões.