A Electrolux demitiu 200 funcionários da fábrica no bairro do Guabirotuba, em Curitiba, nesta sexta-feira (21). A informação foi confirmada pela empresa, que justificou os cortes na readequação da produção em relação à demanda do mercado. A sede produz refrigeradores e freezers.

De acordo com o Seletroar, sindicato que representa os trabalhadores, a empresa vinha enfrentando excesso de estoque, inclusive com diversos barracões alugados na capital para acomodar produtos.

O sindicato confirmou que a Electrolux oferecerá aos demitidos um pacote de benefícios, que não foi detalhado por ainda não ter sido formalizado no Ministério Público do Trabalho (MPT).

Nem a empresa ou o sindicato informaram o número total de empregados na unidade após as demissões. Em dezembro de 2015, o número era 3,9 mil trabalhadores.

Crise

A Electrolux, assim como as demais empresas do segmento, enfrenta dificuldades há quase dois anos, em razão da retração do mercado. Estimativas do Seletroar é que os cortes de vagas no setor tenham chegado a 20% no período. As vendas de eletrodomésticos recuaram 14% no acumulado de janeiro a agosto, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE.

De origem sueca, a multinacional desembarcou no Paraná em 1996, com a compra da Refripar, fabricante da marca Prosdócimo. Além da fábrica do Guabirotuba, a empresa tem uma unidade na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), onde monta aspiradores de pó e eletroportáteis. Em São Carlos (SP), a companhia fabrica lavadoras de roupa e fogões e, em Manaus, aparelhos de ar-condicionado e fornos de micro-ondas.