A atual batalha política na Grécia causada pelo fechamento da emissora de televisão estatal ERT pode prejudicar o futuro financeiro do país se resultar na convocação de eleições antecipadas pelo primeiro-ministro Antonis Samaras, afirmou uma fonte da zona do euro à Market News International

“Definitivamente haverá um congelamento nos empréstimos, pois cada parcela é fornecida sob certas precondições”, afirmou a fonte. “Um possível período de eleição também causará atrasos no cumprimento de regras e adiamentos nas metas, o que será inaceitável”, acrescentou.

Segundo a fonte, apesar de dados recentes mostrarem que o orçamento grego está no caminho certo, o programa geral está em um momento crucial, o que “não deixa qualquer espaço para flexibilidade”. “As receitas estão fora das projeções, assim como o plano de privatização e a reestruturação do setor publico”, afirmou.

A fonte da zona do euro admitiu que possíveis novas eleições na Grécia afetariam a recuperação da zona do euro e “poderiam levar a um aumento nos spreads dos bônus da periferia”. O spread (prêmio) sobre o yield (retorno) que os investidores estão exigindo para manter bônus gregos de dez anos em vez de bônus da Alemanha, que são considerados seguros, está em 835 pontos-base, um aumento de 173 pontos-base nas últimas três semanas.

Líderes dos partidos de coalizão do governo vão se reunir mais tarde nesta segunda-feira em Atenas para tentar encontrar uma solução para a emissora estatal ERT. Tanto os socialistas do Pasok quanto a Esquerda Democrática exigiram a imediata reabertura da emissora, enquanto os conservadores insistem que ela precisa continuar fechada por alguns meses até que o plano de reorganização esteja concluído.

A agência de classificação de risco Moody’s afirmou em relatório divulgado hoje que a Grécia enfrenta um crescente risco de seu rating de dívida ser afetado pelo fracasso no cumprimento do programa de privatizações e pela turbulência política resultante do fechamento da ERT. Fonte: Market News International.