O presidente da Eletrobras, José Antônio Muniz Lopes, disse hoje que o grupo estatal, por meio de suas subsidiárias, entrará na disputa pelas três novas usinas hidrelétricas cujas concessões serão oferecidas aos investidores no leilão do dia 30 de julho. Segundo ele, nos três casos, a Eletrobras vai se associar a empresas privadas.

No caso da usina de Colíder (300 megawatts), em Mato Grosso, a Eletronorte e Furnas estarão juntas em um consórcio que terá ainda empresas privadas. Para disputar a concessão da hidrelétrica de Ferreira Gomes (252 MW), no Amapá, a subsidiária escolhida é a Eletronorte, que integrará consórcios com empresas privadas.

Já no leilão do projeto da usina de Garibaldi (177,9 MW), em Santa Catarina, quem formará um consórcio com empresas privadas é a Eletrosul.

Muniz chegou no final da tarde à sede do Ministério de Minas e Energia, onde participará de reunião da diretoria da Eletrobras com o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann. “Será uma reunião de rotina”, definiu Muniz.

O executivo informou ainda que, conforme antecipou a Agência Estado, os sócios do projeto da usina de Belo Monte aprovaram hoje a criação da empresa que vai tocar a obra e devem protocolar a criação da Norte Energia Sociedade Anônima na Junta Comercial de Brasília até amanhã.