O índice de dívidas em atraso do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) apurado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) teve queda de 2,33% em junho ante maio. Já o número de pessoas inadimplentes diminuiu 1,42% na mesma base de comparação. Para o presidente da CDL-BH, Bruno Falci, o movimento não é uma efetiva retração da inadimplência, mas aponta para uma redução do consumo das famílias para não fazer novas dívidas.

“Com a combinação de juros altos e inflação, boa parte da renda do trabalhador fica comprometida apenas com os itens de necessidade básica, o que inviabiliza a aquisição de outros bens”, afirmou.

Entretanto, os índices de dívidas em atraso e de pessoas inadimplentes tiveram alta de 1,57% e de 0,69%, respectivamente, frente a junho de 2014. “Nessa base de comparação, o índice aponta o efeito corrosivo da inflação sobre a renda das famílias e piora nos indicadores macroeconômicos. O orçamento dos consumidores está cada vez mais pressionado, resultando em uma dificuldade maior de manter as contas em dia”, completou.