A balança comercial terminou janeiro com um saldo positivo de US$ 2,844 bilhões. Esse resultado representa um crescimento de 30% na comparação com o mesmo mês do ano passado. No entanto, em relação a dezembro, houve uma queda de 34,5%. Além disso, as exportações no acumulado de 12 meses ultrapassaram os US$ 120 bilhões. Os dados foram divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento.

Os produtos básicos foram o carro-chefe da balança comercial, com destaque para petróleo, soja, carne bovina, algodão e minério de ferro. O aumento da cotação do barril do petróleo no mercado internacional e a expansão da produção da Petrobras, que levaram ao crescimento do volume exportado, fizeram com que as vendas do produto ao exterior aumentassem 223,1% em relação a janeiro de 2004.

A expectativa do governo é de que as exportações de petróleo sejam maiores este ano do que em 2005, quando o País embarcou US$ 4,2 bilhões.

Outro produto que chamou a atenção dos técnicos do Ministério do Desenvolvimento foi a carne bovina. As exportações somaram US$ 182 milhões em janeiro, dos quais US$ 45 milhões foram para a Rússia. No mesmo período do ano passado, os russos haviam importado apenas US$ 3,7 milhões.

?Mesmo com o registro de aftosa no Mato Grosso do Sul e no Paraná, que levou a Rússia e outros países a embargarem a importação do produto de alguns estados do Brasil, as vendas de carne bovina para aquele país foram surpreendentes?, disse o secretário de Comércio Exterior, Armando Meziat.

A balança comercial brasileira encerrou o mês passado com números recordes para meses de janeiro, em exportações de US$ 9,271 bilhões, importações de US$ 6,427 bilhões, saldo de US$ 2,844 bilhões e o fluxo de comércio de US$ 15,698 bilhões.

Os dados são ainda melhores se fore levado em conta o resultado acumulado dos últimos 12 meses. As exportações atingiram US$ 120,135 bilhões, as importações chegaram a US$ 74,721 bilhões e o superávit chegou a US$ 45,414 bilhões, todos recordes históricos.