Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) e BRA Transportes Aéreos assinam nesta terça-feira (21) contrato de venda jatos 195. O contrato entre a Embraer e a BRA envolve 20 pedidos, no valor de US$ 730 milhões. O contrato prevê outras 20 opções de compra, o que totaliza o montante em US$ 1,4 bilhão. A BRA abriu recentemente a possibilidade de adquirir mais 35 jatos da Embraer, mas essa quantidade adicional não foi ainda formalizada neste contrato.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa da cerimônia, no hangar da Embraer em São José dos Campos. Este contrato deverá ter forte impacto no mercado brasileiro de aviação, pois a Embraer – terceira maior fabricante de jatos comerciais do mundo e líder na fabricação de aeronaves de até 120 lugares – não tinha, até este momento, nenhum jato operando no mercado civil da aviação brasileira.

O financiamento desses jatos será feito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), nos moldes das operações padrões da instituição: TJLP de 6,5%, mais 1,5% a 2% de spread e taxa de risco de 0,8% a 1,8%. Além disso, o contrato inclui a isenção de ICMS. Isso porque em setembro de 2005, decreto do então governador Geraldo Alckmin (PSDB), isentou desse imposto as aeronaves fabricadas no Estado, pois a antiga alíquota de 4% praticamente inviabilizava a venda de aviões pela Embraer no mercado interno.