O ministro de Finanças de Portugal, Vitor Gaspar, disse nesta terça-feira que a emissão de um bônus de 10 anos pelo país foi “um grande sucesso”. Segundo ele, o país vai conseguir sair do programa de resgate internacional de acordo com o planejado, em meados de 2014. “A venda completa nosso retorno para os mercados e normaliza nosso acesso a eles”, comentou.

Gaspar disse que as necessidade de financiamento de Portugal este ano agora estão cobertas, mas o país vai começar um “pré-financiamento” para 2014, para “garantir que nós seremos capazes de sair com sucesso do programa de resgate”.

Portugal vendeu hoje 3 bilhões de euros na emissão de um bônus de 10 anos, o primeiro deste vencimento desde que o país recebeu um pacote de resgate de 78 bilhões de euros, em abril de 2011. A oferta atraiu demanda de quase 9 bilhões de euros, o que resulta em uma taxa bid to cover ao redor de 3. Isso aconteceu mesmo com o país ainda tendo rating de grau especulativo pelas três principais agências de classificação de risco, o que impede muitos investidores institucionais de comprar essa dívida.

O papel foi vendido com yield (retorno ao investidor) de 5,6%, um dos maiores na zona do euro. Portugal optou por uma oferta sindicalizada, que é mais “customizada” e difere do esquema de leilão utilizado por emissores que não têm problemas particulares. Nesse estilo de venda o país tem a possibilidade de sondar investidores, escolher o melhor momento para a venda e, com a ajuda dos bancos que coordenam a operação, ajustar o preço de acordo com a demanda. As informações são da Dow Jones.